De acordo com Kayaya Kahala, um administrador da Empresa Nacional de Ferro de Angola, o projecto de exploração de depósitos de ouro de Chipindo, na província da Huíla, deverá vir a facturar 64 milhões de dólares por ano com a venda de 53,6 mil onças “troy”.

Com uma área de 664,30 quilómetros quadrados, a mina de Chipindo apresenta um tempo de vida útil de sete anos e vai criar 70 postos de trabalho directos, tendo iniciado já a actividade em Março último, em regime experimental.

Advertisements

Na boleia das comorações do Dia do Trabalhador Mineiro em Angola que se assinalam no dia 27 do mês em curso, Kahala adiantou que outros projectos semelhantes estão em fase avançada, prevendo-se que comecem a laborar no decurso do segundo semestre do ano.

Por outro lado, o administrador declarou que estes projectos são os de Buco-Zau e Lufo, localizados em Buco-Zau e Belize na província de Cabinda, ambos com uma produção anual estimada em 3858 onças, bem como o de Tiandai Mining, localizado em Nambuangongo, na província do Bengo.

Se por um lado, o projecto Buco-Zau abrange uma área de 322,80 quilómetros quadrados, estimando-se um tempo de vida útil de 57 anos, tendo em conta o ritmo de produção lento a imprimir na primeira fase de exploração. Por outro,  o do Lufo está um pouco mais atrasado mas deverá começar a laborar na segunda metade do ano, dispondo a mina de uma duração previsível de 33 anos, devendo o de Tiandai Mining iniciar-se em Outubro

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.