Em Março do corrente ano, a zona centro de Moçambique, em particular a Cidade da Beira, foi fustigado pelo Ciclone IDAI que matou cerca de 1000 pessoas e deixado um rasto de destruição sem precedentes

Volvidas cinco semanas apos a passagem do Ciclone Idai, a perola do indico voltou a ser assolado por mais um fenómeno da mãe natureza: o Ciclone Kenneth, mas desta vez na zona norte.

Advertisements

O ciclone deixou um rasto de destruição, todavia, a operação de grafite Balama da Syrah Resources, classificada pela ASX, conseguiu sair ilesa pela segunda vez e foi impactada pelo ciclone, permitindo que a empresa continue a produção e com as vendas.

Enquanto a chuva e o vento foram registados em Balama, a acção preparatória no local foi estabelecida para garantir a segurança do pessoal da Syrah e a segurança do equipamento operacional.

O ciclone Kenneth é o segundo fenómeno climático a atingir Moçambique. O impacto total do ciclone Kenneth nas pessoas e infra-estruturas ainda está por ser estabelecido ”, diz o CEO da Syrah Resources, Shaun Verner para depois acrescentar que “A Syrah e os seus funcionários têm estado activos tanto directamente como através da Cruz Vermelha em Moçambique, ajudando no rescaldo do ciclone Idai na Beira, e iremos, é claro, avaliar como podemos ajudar Cabo Delgado, se necessário”.

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.